BusinessE-Mail MarketingMarketing Digital
[ 4 de julho de 2019 by bgwconsultores 0 Comments ]

O que são listas Opt-in e Soft-opt-in? Entenda a diferença.

Assim como em qualquer área da comunicação, existem diversas regras para trabalhar o e-mail marketing de forma não invasiva.
Em qualquer ação de e-mail marketing é obrigatório o consentimento do contato, implicitamente ou explicitamente.
As regras estão listadas no “Código de Autorregulamentação para prática de E-mail Marketing”.
Link ABEMD: https://abemd.org.br/codigo-de-autorregulamentacao-para-pratica-de-e-mail-marketing

A maneira mais recomendada é o OPT-IN:

O que é opt-in?
Opt-in é a autorização necessária para receber comunicações por e-mail de uma determinada empresa.

Seguindo as regras básicas nesta área, para que uma empresa efetue o envio de campanhas de email marketing é necessário que a mesma tenha uma base de contatos qualificada. Isso significa que todas as pessoas que estão incluídas nas listas de emails autorizaram o recebimento de emails com comunicados, newsletters e/ou promoções daquela empresa. O mais comum para captar emails de pessoas interessadas em ler e receber os comunicados de uma empresa é um campo dentro do próprio site para assinaturas e recebimentos de boletins informativos. Aqueles que tiverem interesse irão inserir seus dados nos campos solicitados e autorizar a empresa a enviar os e-mails.

Outra maneira muito utilizada para captação de leads é o SOFT-OPT-IN:

O que é soft-opt-in?
O soft-opt-in não conta com uma autorização explícita do contato mas é uma prática existente e permitida para captação de leads.

Esta maneira visa garantir o envio de comunicações por e-mail com pessoas que já tenham um relacionamento prévio estabelecido entre as partes. Esta opção não conta com um cadastro onde os interessados incluem seus dados e autorizam o envio de emails no site como o OPT-IN. O Soft-Opt-in entende que um relacionamento pertinente entre duas partes permite o envio de mensagens de email entre elas.

A montagem de uma lista de contatos através do Soft-Opt-in costuma ser feita através de contatos profissionais, geralmente em eventos ou feiras de negócios ou quando clientes e empresas se reúnem para trocar ideias e informações em geral (partner networking). Este tipo de inclusão de emails na base de contatos de uma empresa é legal e não é considerado SPAM.

Porém é sempre tero bom senso neste tipo de ação. Quando o representante de uma empresa for captar emails para crescer a base de contatos de sua empresa, o ideal é que converse com as pessoas e informe-as sobre a possibilidade de incluí-las no recebimento destes emails, para saber se elas concordam ou não com isto.
Uma forma interessante é incluir no rodapé ou cabeçalho do e-mail a opção de incluir o e-mail rementente como confiável em sua base de contatos.

Importante:
Em todas as comunicações é essencial o link de Opt-out (exclusão do e-mail da base de contatos).
Algumas pessoas se cadastram em um momento e se arrependem ou deixam de tratar aquelas mensagens como importantes.
O respeito e a real exclusão da base é necessário para atender o pedido do cliente e entender os motivos que levaram a remoção do recebimento dos boletins.
Somente desta forma legal e consciente é que as estratégias de comunicação por e-mail serão respeitosas e cada dia mais eficazes.

BusinessMarketing DigitalTecnologia da Informação
[ 24 de junho de 2019 by bgwconsultores 0 Comments ]

TI – Solução de Cloud hibrida reduz custos e traz eficiência

Implantar ou não uma solução de nuvem já não é mais uma questão de opção em boa parte das empresas, pois os benefícios desse tipo de infraestrutura estão mais que claros para qualquer gestor de TI ou CIO. O novo desafio agora é entender as opções disponíveis e escolher entre nuvem pública, nuvem privada e a nuvem híbrida.

E, segundo a consultoria Gartner, em 2020, 90% das organizações vão adotar a opção da nuvem híbrida. A justificativa para isso é a otimização de custos e aumento da eficiência, ainda que esse tipo de infraestrutura seja um pouco mais complexa que outras possibilidades.

Qual a diferença entre nuvem híbrida, pública ou privada?

A nuvem híbrida é uma utilização conjunta da nuvem pública e da nuvem privada, com o compartilhamento de dados e aplicativos entre elas. Mas para compreender melhor como esse tipo de infraestrutura realmente funciona, vale a pena primeiro conhecer o que são a nuvem pública e a nuvem privada.

Nuvens públicas são todos os serviços de computação em nuvem oferecidos por terceiros, como por exemplo a Amazon Web Services (AWS), o Microsoft Azure e Intune. Eles estão disponíveis para qualquer pessoa, normalmente em plano pagos, ainda que existam opções de serviços na nuvem, como o Google Drive, da Google.

A grande vantagem da nuvem pública é que o provedor de serviços é o responsável por todo gerenciamento, manutenção de hardwares e segurança. Com isso, o serviço pode ser quase que instantaneamente implantado em uma empresa e é totalmente escalonável: só se paga pelo que se utiliza e, caso seja preciso ampliar a infraestrutura, basta investir mais.

O custo da utilização da nuvem pública normalmente também será menor, já que não é preciso investir em equipamentos para ela e nem profissionais especializados para a sua manutenção.

Outra vantagem aqui é a mobilidade: qualquer pessoa de qualquer lugar e praticamente qualquer dispositivo consegue acessar a nuvem pública, desde que tenha as credenciais de acesso. Por outro lado, isso faz com que algumas empresas tenham uma certa desconfiança em relação a questão da segurança nas nuvens públicas.

A nuvem privada, por outro lado, é aquela oferecida em uma rede interna particular para apenas usuários selecionados. Ela também é chamada de nuvem interna ou nuvem corporativa, já que normalmente é confinada aos limites de uma organização.

A nuvem privada é capaz de fornecer benefícios como escalabilidade e elasticidade, além de permitir uma customização bem maior que a de uma nuvem pública. E a segurança dos dados aqui é reforçada pelos firewalls da empresa, além do hosting interno que vai garantir que terceiros não consigam acessar os documentos remotamente.

Por outro lado, como é necessário investir em equipamentos e uma equipe de TI dedicada a manutenção dessa infraestrutura, os custos de uma nuvem privada são muito semelhantes aos de um datacenter tradicional, o que pode ser desinteressante para empresas que querem uma economia mais drástica em seus custos com tecnologia.

Mas afinal, o que é a nuvem híbrida?

A nuvem híbrida é uma forma de aproveitar os benefícios de ambas as formas de nuvem com inteligência. Esse tipo de infraestrutura combina em um único ambiente todas as vantagens de privacidade e customização da nuvem privada com as reduções de custos e flexibilidades da nuvem pública.

Funciona da seguinte forma: ao optar por uma infraestrutura híbrida, uma empresa coloca parte dos seus serviços e dados na nuvem privada e outra parte na nuvem pública.

Transações financeiras e outras informações sensíveis, além de serviços críticos, podem ficar hospedados na parte privada do sistema, enquanto a pública recebe outros serviços e tarefas básicas que não são confidenciais.

Com isso, os arquivos mais importante ficam protegidos pelo firewall e outras restrições de acesso, ao mesmo tempo que outros serviços podem usufruir da portabilidade da nuvem pública.

A razão pela qual a nuvem híbrida deve ser a mais popular em 2020, segundo a previsão da Gartner, é a sua flexibilidade: cada organização pode escolher uma formatação dessa mistura que seja mais adequada para as suas necessidades, dimensionando com minuciosidade suas demandas de segurança, escalabilidade e elasticidade, além, é claro, do orçamento.

E uma outra vantagem muito interessante da nuvem híbrida é a possibilidade de realizar o chamado Cloud Bursting.

O que é o Cloud Bursting?

O Cloud Bursting é uma estratégia para lidar com picos de demanda de TI em uma infraestrutura de nuvem híbrida. Uma vez que essa configuração seja pré-definida, quando o tráfego ou utilização de uma nuvem privada chegar ao seu limite, o excedente é transportado para a nuvem pública imediatamente.

Isso impede a interrupção de serviços e garante uma espécie de redundância para a infraestrutura de nuvem de uma organização, ampliando a sua confiabilidade.

Além disso, essa é uma opção muito econômica: em vez de gastar dinheiro tentando prever a utilização de recursos e correr o risco de passar boa parte do tempo com uma capacidade desperdiçada, é possível simplesmente configurar o Cloud Bursting e só expandir sua infraestrutura privada se o excesso de tráfego se tornar algo frequente.

A nuvem híbrida é mais complexa?

É seguro dizer que uma infraestrutura de nuvem híbrida é bem mais complexa do ponto de vista da TI do que uma nuvem pública ou privada. Como esse formato, utiliza-se os dois serviços, é necessária, então, uma compreensão das fraquezas e vantagens de cada modelo, além das melhores formas de realizar a integração entre eles.

Outro desafio é com a compatibilidade de aplicações e serviços entre diferentes plataformas. Antes de pensar em configurar um Cloud Bursting, por exemplo, é decisivo ter certeza sobre a funcionalidade da demanda que será transferida, com testes práticos disso. Também é importante se certificar que nenhum tipo de dado será deixado para trás nesse processo.

Por outro lado, apesar de mais complexa, a nuvem híbrida certamente é mais eficiente em atender demandas variadas e flexíveis de organizações, o que significa que muito provavelmente seu custo será bem menor que o de uma nuvem privada apenas, e sua segurança maior do que a de uma nuvem pública.

Marketing DigitalSEO
[ 24 de junho de 2019 by bgwconsultores 0 Comments ]

SEO – Como atingir melhores posições no Google

Todos queremos que nossos websites apareçam nas primeiras posições do Google e a regra é simples: duas empresas não dividem o mesmo espaço neste site de busca e o espaço é muito concorrido. Para isso o Google criou o ranqueamento dos sites através das métricas de avaliação que passam de 200 itens.

Vamos entender um pouco como funciona esse processo de avaliação para depois definir quais ações serão necessárias para alcançar o topo do Google.

NO TOPO DO GOOGLE

O Google avalia mais de 200 itens dentro de um site e não são todas essas variáveis que são divulgadas, este fator dificulta muito a vida do especialista em SEO na tarefa de acompanhar diariamente o posicionamento.

Essas variáveis são alteradas todos os dias, ou seja, uma métrica de avaliação que hoje tem um relevância de 5 pontos poderá ter 10 ou 15 pontos no dia seguinte, e assim sucessivamente.

O conteúdo com a aplicação de boas práticas é que o Google quer mostrar para seus “clientes” nas primeiras posições da busca orgânica. A busca orgânica é onde o link do seu site aparece quando uma pessoa pesquisa sobre determinado assunto e o resultado se apresenta sem a opção de ter patrocinado aquele link.

E quanto custa aparecer na primeira página do Google?

Existem duas formas do seu site aparecer na primeira página do google que são:

ADWORDS – LINKS PATROCINADOS DO GOOGLE:

É uma ferramenta paga do Google que permite promover o seu site na primeira página com investimentos. Este recurso aumenta a visibilidade do seu site e utiliza ferramentas estratégicas para exibir assuntos relacionados aos que sua empresa oferece.

SEO – EM SUA DEFINIÇÃO:

Search Engine Optimization que em português significa Otimização de Sites para buscadores. É uma forma gratuita que permite otimizar o conteúdo do site com o intuito de diminuir os investimentos em Adwords e otimizar o conteúdo para buscar um alto índice de relevância.

Mas não basta simplesmente aparecer, é preciso manter o conteúdo do site na primeira página, e para isso é preciso aplicar e acompanhar diariamente as melhores práticas para se manter nas primeiras colocações.

EXEMPLO PRÁTICO:
IMAGINE O SEGUINTE CENÁRIO:

Clara e José são dois empresários que desejam ter um site com o objetivo de aumentar a visibilidade de suas empresas, deixar os seus sites bem posicionados no topo do Google, buscando rentabilidade e lucro para seus negócios.

Vamos falar primeiro da Clara: A Clara tem uma loja de bolsas em seu bairro. Ela possui páginas nas redes sociais e faz posts das fotos de sua coleção. Como as postagens de Clara nas redes sociais não estão sendo suficientes para aumentar ou manter suas vendas, ela decidiu criar um website para alcançar um número maior de pessoas.

Agora vamos falar do José: José é um corretor de imóveis que tem uma pequena empres no mesmo bairro que Clara e também passa pelos mesmos problemas. Ele também decidiu criar um website e fazer um trabalho de marketing digital em busca do aumento de seu posicionamento na internet.

Clara foi ao mercado fazer pesquisas de quanto teria que investir em um site profissional e se assustou com os preços cobrados no mercado, achou muito caro e resolveu pedir ao seu amigo que aprendeu desenvolvimento para criar um site para ela.

José fez a mesma pesquisa e resolveu investir contratando uma empresa especializada para desenvolver o seu website de venda de imóveis.

Depois de 3 meses Clara percebeu que seu site não trazia o retorno esperado na busca orgânica, o que fez recorrer ao Google Adwords (investimentos) para tentar ficar nas primeiras páginas com links patrocinados.

No mesmo período José está obtendo bons retornos e também investe no Google Adwords, mas a diferença é que o volume de investimentos é muito menor, pois seu website está trazendo resultados no método de busca orgânica diante da aplicação das práticas de SEO.

NA VISÃO DO CONSULTOR DE MARKETING

A diferença para os dois empresários é justamente a estrutura do site. Um site bonito em design é importante, mas para o Google a beleza não é uma métrica relevante na avaliação de conteúdo. Aplicar boas práticas de SEO faz a diferença e o sucesso do negócio online.

A VISÃO DO GOOGLE

O Google faz uma leitura de todo o site e faz uma pontuação para que ele seja ranqueado. Vamos citar algumas das centenas que devem ser observadas:

META DESCRIÇÃO:

Essa métrica é a descrição de determinado assunto ou produto que seu site está apresentando, essa métrica possui um peso elevado no momento de ranquear sua página e quando bem estruturada recebe uma boa pontuação.

QUANTIDADE DE TEXTO:

É fundamental que um site leve informações aos seus visitantes de forma clara e direta. Esta métrica classifica a proporção de textos que seu website possui. Tudo deve ser balanceado, pois textos demais cansam e causam abandonos de potenciais clientes.

ÍNDICE DE QUALIDADE:

A produção de conteúdo de qualidade é muito importante para atrair visitantes e contar pontos para seu website.

DICAS PARA ALCANÇAR O TOPO DO GOOGLE.

  1. A estrutura de criação do site deve ser planejada diante das boas práticas;
  2. Gestão de conteúdo é fundamental para gerar relevância;
  3. Atender aos pré-requisitos do Google;
  4. Integrar o website com as redes sociais;
  5. Ter um público alvo definido;
  6. Oferecer serviços de excelência aos potenciais clientes;
  7. Investir corretamente na publicidade de seu website;
  8. Analisar as visitas e demais dados que acontecem diariamente;
  9. Avaliar o desempenho de todos os itens do site;
  10. Analisar as métricas de conversão do site.

CONCLUSÃO

Não é fácil chegar na primeira posição do Google, seja por busca orgânica (SEO) ou Links Patrocinados (Google Adwords), por isso procure sempre um especialista da área que saiba utilizar as boas práticas e fazer publicidade de forma correta.

E-Mail MarketingMarketing DigitalTecnologia da Informação
[ 13 de maio de 2019 by bgwconsultores 0 Comments ]

MKT – A importância de registrar o SPF (Sender ID) e DKIM (Domain Key)

O

que é e como funciona o SPF/SenderID?

SPF significa Sender Policy Framework. Trata-se de um método que permite ao detentor de um domínio especificar qual servidor (ou quais servidores) de email têm permissão para o envio de mensagens e a subsequente verificação pelo servidor de email que a recebe. Em outras palavras ele identifica para o provedor de email que quem está enviando aquela mensagem é mesmo você. Essa configuração previne que outras pessoas enviem emails no seu nome e isso ajuda a aumentar a taxa de entrega das suas campanhas de email maketing.

O próprio Código de Autorregulamentação para a Prática de Email Marketing recomenda a autenticação da conta através do SPF, conforme abaixo:

“CAPÍTULO IV – DOS PRÉ-REQUISITOS TÉCNICOS DO ENVIO
Art.9º. -Os servidores de envio que praticam atividade de envio de E-mail Marketing, deverão seguir os seguintes critérios tecnológicos:
[…] IV – Configurar o SPF (Sender Policy Framework) do e-mail utilizado como return-path;”

Configurar o SPF é extremamente importante para aquelas empresas que contratam plataformas de envio de e-mail marketing pois é necessário autorizar os servidores desta empresa contratada a enviar e-mails em seu nome (com seu domínio de e-mail). Não configurar o SPF pode permitir que outro servidor se passe por legítimo e envie e-mails em seu nome, com seu domínio de e-mail.

O que é e como funciona o DKIM/DomainKey?

DKIM significa Domain Keys Identified Mail. Refere-se a um sistema de autenticação criptografada do remetente que aumenta a integridade do email ao ser entregue em seu destino. É como se fosse uma chave pública presente no email e no DNS do servidor de origem do e-mail que mostra ao destinatário que aquele domínio é verdadeiro. Desta forma, ao configurar o DKIM os e-mails enviados vão com a chave de identificação do remetente e isso consequentemente aumenta a entrega do envio de e-mail marketing. 

A configuração do DKIM impede que ocorram falsificações nos domínios, através de um método bastante sofisticado que garante a integridade do conteúdo do e-mail, durante o envio do mesmo.

Funciona basicamente da seguinte maneira: Cada e-mail enviado inclui uma espécie de assinatura digital no cabeçalho da mensagem, sendo que cada assinatura é única e criptografada de forma que não pode ser falsificada. O servidor que recebe a mensagem faz uma pesquisa ao DNS do remetente e, quando a chave DKIM está configurada, este servidor consegue receber a chave pública daquele domínio que remeteu a mensagem para então descriptografar a assinatura e identificar que o remetente e a mensagem são autênticas.

As configurações de SPF e DKIM não são obrigatórias, porém influenciam diretamente na entrega de suas campanhas por funcionarem como autenticadores, fazendo com que seus emails não sejam classificados como Spam. Servidores como Hotmail, Gmail e Yahoo utilizam estes autenticadores, por este motivo estas configurações são consideradas essenciais para que você venha a obter um bom resultado com suas campanhas.

Deu para entender o a importância e o funcionamento do SPF e DKIM para quem envia e-mail marketing? 

Se você já configurou os mesmos, parabéns! Suas campanhas estão seguras e seus e-mails estão sendo entregues por serem enviados por um remetente confiável e autenticado.
Em caso de dúvidas não hesite em nos contatar para ajudar neste processo tão importante.


Como implatar o SPF da BGW Consultores e verificar se tudo correu bem? 

Aqui vamos dar o passo a passo que se aplica em qualquer provedor que seu site está hospedado.

1- Entre com o login e senha em seu acesso do provedor que hospeda seu web site;
2- Vá até o domínio que pretende autorizar os envios e clique em Gerenciador de DNS;
3- Provavelmente você já terá uma linha TXT com algum conteúdo parecido com este: v=spf1 include:spf.provedor.com.br?all
4-
Para incluir o SPF da BGW Consultores é só acrescentar o seguinte conteúdo: include:bgw.inf.br no meio da linha dando apenas um espaço. Ficaria assim:
v=spf1 include:spf.provedor.com.br include:bgw.inf.br ?all
5-
Se seu provedor não tiver uma linha TXT de SPF, inclua um nova linha no formato TXT e copie/cole a linha exatamente como desta forma:
v=spf1 include:bgw.inf.br ?all

Depois disso é só salvar e seu provedor irá informar o prazo para propagação do DNS no Registro.br (normalmente é de 48 a 72 horas).

Para verificar se está tudo certo aconselhamos abrir o site: https://www.kitterman.com/spf/validate.html

No primeiro item “Domain Name” digite o seu domínio autorizado para que a BGW Consultores envie e-mails com responsabilidade em nome de sua empresa.

Depois Clique em “Get SPF Record (if any)
Abrirá uma página e no final terá algo parecido com esta mensagem:

Found: v=spf1 a mx include:bgw.inf.br ~all 
evaluating…
SPF record passed validation test with pySPF (Python SPF library)!

Pronto! Você realizou e verificou que o registro SPF está ativo e suas campanhas de marketing via e-mail podem ser realizadas com total segurança, evitando que o domínio seja classificado com SPAM.